Últimas Notícias

Com atuação irregular, Brasil bate o Chile e está com um pé na semifinal de vôlei no Pan

Seleção começa mal, mas fecha o jogo com grande atuação. Time nacional vence por três sets a um e lidera o Grupo B


Assim como foi na estreia contra o México, o Brasil venceu, mas ainda com atuação irregular. A seleção bateu o Chile, nesta quinta-feira (01), pela segunda rodada do Grupo B do Pan-Americano, por três sets a um (25/18, 22/25, 25/16 e 25/17). Nos dois primeiros sets, o time jogou mal, mas a partir do terceiro, principalmente no quarto, teve atuação muito boa. Com os jogadores ainda ganhando entrosamento, o resultado cumpriu com o objetivo de deixar a seleção com um pé na semifinal da competição.


O Brasil volta à quadra nesta sexta, contra os Estados Unidos. O jogo será às 22h30 ( de Brasília). A seleção precisa vencer apenas dois sets para garantir não só a classificação como também o primeiro lugar do grupo. Já os Estados Unidos vão entrar em quadra sabendo exatamente o que precisam para se classificar. Os americanos vão torcer por uma vitória do México sobre o Chile no jogo anterior. Assim, entrariam em quadra precisando vencer apenas dois sets para se classificar em segundo ou ganhar o jogo para tentar pegar o primeiro lugar. Se o Chile vencer, vai jogar bastante pressão para os EUA, já que chilenos e brasileiros estariam com seis pontos, e os americanos precisariam vencer a qualquer custo por três sets a zero ou três sets a um para se igualar em seis pontos e deixar para a média de pontuação a definição da classificação.

Destaques
 
Abuba, o grande destaque no primeiro jogo, foi muito marcado durante a partida e não conseguiu voltar a ter o mesmo brilho, mas teve bom rendimento. As jogadas de meio com Matheus e Eder estão afinadíssimas e foram arma importante durante a partida. Principalmente Matheus, que foi o grande destaque do duelo. Mais solto a partir do terceiro set, Thiaguinho passou a apresentar o vôlei que o levou à seleção acertando principalmente o tempo das bolas de ponta. Rodriguinho cresceu muito a partir daí e também foi fundamental para o crescimento do time.

O jogo
 
O Chile entrou na partida com uma tática clara: forçar o saque para tentar quebrar o passe brasileiro. Vez ou outra, até deu certo. Mas a estratégia também fez com o a equipe errasse muitos saques, dando pontos de graça ao Brasil. Abuba, que se destacou na estreia contra o México, foi o responsável por fazer o ponto que abriu vantagem para a seleção em 7 a 5. O Chile reagiu e chegou ao empate no 10 a 10. Mas foi só fogo de palha. Em contra-ataque batido com força por Eder, o Brasil voltou a abrir (17 a 13). A partir daí, mesmo sem jogar muito bem, o time se soltou e ganhou: 25 a 18.

No segundo set, o Brasil começou afobado, errando bolas bobas, tanto no passe, quanto no ataque. O Chile imitou o Brasil e abriu no 7 a 5. Mas aí as bolas de ponta do Brasil finalmente começaram a entrar com eficiência. Lucas Loh fez dois seguidos e Rodriguinho virou para o Brasil (9 a 8). O jogo passou a ficar equilibrado, com o time chileno muito preciso no passe e o Brasil se virando bem no ataque. Até a arbitragem cometer um erro grosseiro ao marcar toque no bloqueio de Eder em ataque chileno. A bola passou muito longe. O Chile abriu 18 a 17 e o time brasileiro foi à loucura. Depois de muita reclamação, o jogo voltou e na bola seguinte, Rodriguinho, no bloqueio simples, bateu para fora. Nervosa, a seleção perdia chances em sequência. Enquanto isso, o Chile defendia tudo, abriu três pontos (23 a 20), e só administrou para fechar em 25 a 22.

O nervosismo brasileiro continuou no início do terceiro set. Isso ficou claro na sequência de saques errados. Mas, aos poucos, o time como um todo foi se encontrando. Thiaguinho começou a fazer uma variação grande de jogadas e teve seu melhor momento no Pan. Com o bloqueio “dançando”, ficou fácil para os atantes virarem as bolas. Lucas Loh fez 7 a 4 e deu a tranquilidade que o time precisava naquele momento. Com destaque para Rodriguinho, o Brasil venceu com tranquilidade em 25 a 16.

O placar trouxe a alegria que faltava ao Brasil. A seleção começou o quarto set avassalador, defendendo tudo e dando show no ataque. Os chilenos mal tinham entrado na parcial e Rodriguinho já tava fazendo 10 a 5 depois de Matheus fazer ponto de ataque, de saque e de xeque. Cada ponto era acompanhado por muita vibração e muita alegria. Solto em quadra, o Brasil passou a dar show a ponto do técnico Marcelo Fronckowiak colocar alguns reservas em quadra, que mantiveram o bom rendimento: 25 a 17 no ataque de Felipe Roque.

O Pan de Lima

O Pan de Lima reúne cerca de 6.580 atletas de 41 países das Américas. Dos 39 esportes, 22 valem como classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. No total, o Brasil terá 485 atletas em ação na capital do Peru. E os canais SporTV transmitem ao vivo os principais eventos até o dia 11 de agosto. 

Nenhum comentário