. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Jornalista Ricardo Boechat morre nesta segunda-feira em queda de helicóptero; veja vídeo

O jornalista Ricardo Boechat morreu, aos 66 anos, na queda de um helicóptero no Rodoanel, no início da tarde desta segunda-feira, 11. A aeronave caiu no quilômetro 7 da via, próximo ao acesso à Rodovia Anhanguera, próximo a chegada a São Paulo, em cima de um caminhão.

Assista ao vídeo com os primeiros momentos após a queda:


O jornalista era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM, além de ser colunista da revista IstoÉ. Trabalhou no Estado de S. Paulo e também nos jornais O Globo e O Dia. Foi ganhador de três prêmios Esso e, segundo o site da Rede Bandeirantes, é um dos maiores ganhadores da história do Prêmio Comunique-se, em que foi reconhecido como âncora de rádio, âncora de televisão e colunista. Também foi eleito o jornalista mais admirado do país na pesquisa do site Jornalistas&Cia em 2014.

Boechat estava voltando de Campinas, onde tinha ido dar uma palestra. Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave caiu emcima de um caminhão que trafegava pela via, no sentido interior, próximo à praça do pedágio. O motorista do caminhão foi socorrido pela concessionária que administra o Rodoanel.

Os bombeiros informaram que 11 viaturas foram deslocadas para o local para o resgate. De acordo com os bombeiros, a aeronave que caiu era do modelo BELL PT HPG.

Reprodução/ Band / N/A

Repercussão

A morte do jornalista teve grande repercussão nas redes sociais. O presidente Jair Bolsonaro comentou que recebeu com pesar a notícia.

O apresentador José Luiz Datena interrompeu a programação da Band no início da tarde para confirmar a morte de Boechat. Emocionado, Datena disse que ele era "uma pessoa especial" e um dos maiores jornalistas do país.

Jornalistas e admiradores também lamentaram a morte de Boechat. "Tristeza e luto nessa tragédia para o jornalismo brasileiro. Perdemos uma referência para o jornalismo combativo e questionador", escreveu Flávio Fachel, apresentador do Bom Dia RJ.

"Tá difícil de segurar a onda por aqui. Um dia choro por centenas, noutro por dezenas, agora choro por um colega: Ricardo Boechat, agora não! O jornalismo precisa de você", escreveu Milton Jung, da CBN.

A colunista do BR 18 e do Estado de S. Paulo, Vera Magalhães chamou o jornalista de "referência do jornalismo, colunista, como âncora". "Com tudo o que era, conseguia ser generoso com quem tinha menos experiência. No encontro que tivemos, me brindou com essa generosidade que nem sei se merecia."

Já o jornalista André Trigueiro lembrou do período em que trabalhou com Boechat na TV Globo. "Jornalista valente, corajoso, contundente, um dos grandes nomes dessa nossa profissão", disse. "Ricardo Boechat era um voz contestadora na imprensa, fará muita falta", lamentou Mauro Cezar, jornalista da ESPN.

A jornalista Miriam Leitão, da TV Globo, também falou sobre a morte do "querido amigo". "Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso".


Nenhum comentário:

Postar um comentário