. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Preço da gasolina baixou nas refinarias, mas consumidor continua pagando caro.

Não para de chegar notícia de que a gasolina baixou de preço nas refinarias. Isso gera uma expectativa nos consumidores referente ao preço praticado nos postos de combustíveis, se vão ou não acompanhar a tendência de queda. Porém, a conta não é tão simples quanto parece e a gasolina não vai baixar o preço na mesma proporção. 


O que acontece é que a maioria da redução nas refinarias, não são adotadas pelas distribuidoras, ou seja, quem compra a gasolina, não recebe o ‘desconto’. De um modo geral, quando o dono do posto recebe a redução, ele repassa. Mas se a distribuidora não repassar a redução, os postos não podem repassar para o consumidor final. 

O preço da gasolina na refinaria, segundo a Petrobras, corresponde a um terço do valor cobrado para o consumidor final. Durante o trajeto até a bomba, o combustível vai ficando mais caro. A Federação Nacional do Comércio de Combustíveis afirmou que os postos só conseguem diminuir os preços quando as distribuidoras também reduzem e que são livres para repassar ou não a redução de preço, de acordo com seus custos. O problema é que a Associação Nacional de Distribuidoras de Combustíveis se manifesta alegando que o preço final repassado realmente está diminuindo, o que não é real quando vamos observar nas bombas. 

No RN, em algumas cidades a gasolina registra o valor de R$ 3,19, o que é totalmente incomum em Marcelino Vieira, quando nos dois postos da cidade a gasolina está custando R$ 4,47  Pagamos uma das gasolinas mais caras do estado e do país, os descontos nunca são repassados. Aquela velha história, a gasolina cai de preço como uma pluma e sobe como um foguete. 

A margem de lucro dos postos cresce e o cartel agradece.

Com informações do Mossoró Notícias