. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

domingo, 11 de novembro de 2018

Assu RN: Polícia civil resgata idoso vivendo em cárcere privado há cerca de um ano na cidade de São Rafael. Veja



A equipe de Policiais Civis da Delegacia de Assú, durante a execução da 6ª Fase da Operação 60 Horas, resgatou, na tarde de hoje, na cidade de São Rafael (RN), o idoso Manoel Salustino de Lucena, de 70 anos, que há mais de 01 ano era mantido em cárcere privado por seus cuidadores, uma família que assumiu o encargo de cuidar do idoso mediante o recebimento de parte da aposentadoria dele.

Segundo o Delegado Cidorgeton Pinheiro, a notícia sobre os fatos surgiram através do disk-denúncia da polícia civil e informava que um idoso era mantido, por seus cuidadores, numa jaula, com cadeado e próximo de chiqueiros e galinheiros, durante todo o dia, sendo que sua aposentadoria era desviada por seus cuidadores para os mais diversos fins.

A equipe de policiais foi ao local e constatou que, no quintal de uma residência, ladeado com currais e galinheiros infestados de fezes de animais, era mantido um idoso, numa pequena construção com dois cômodos, sendo um deles o quarto do idoso, onde também ficava o banheiro com uma torneira, baldes e um sanitário, além de uma cama. Nada mais existia no quarto, como ventilador, televisão ou rádio. Sem janelas, o local era fechado com uma porta, uma grade, corrente e cadeados, muito se assemelhando a uma jaula ou cela.

Extremamente lúcido, o idoso, ao ser questionado sobre as condições que vivia, afirmou que estava sendo mantido preso como se criminoso fosse, mas que nenhum mal causou a ninguém, e que estaria no local há mais de 01 (um) ano, contra sua vontade, saindo apenas para ser vacinado.

O idoso será encaminhado para um abrigo e o procedimento investigatório foi instaurado para apuração das responsabilidades criminais dos envolvidos.

A polícia civil agradece as informações recebidas e pede para que continuem denunciando pelos números (84) 99992-2122 e 98155-2956.