. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

domingo, 26 de novembro de 2017

FALSO MORALISMO


O Falso Moralista é aquela pessoa que defende comportamentos rígidos e exemplares perante a sociedade, que aparenta ser uma pessoa de conduta social exemplar e não o é. Que prega a moral e os bons costumes, porem no seu dia-a-dia não pratica a moral que ele defende, ou julga correta Em diversas situações o ser humano sabe que é imoral, porém o falso moralista procura camuflar e transparecer que é um moralista, ético… Na verdade, um hipócrita.

“Hipócrita. Tem conceito de valor, ética ou moral, mas confunde-se no momento de entendê-lo”. Tem a ilusão de estar sempre certo. Para esta pessoa, a lógica jamais conseguirá desmontar suas idéias inquestionáveis. “Àquele que critica suas idéias”, ela mostra desprezo, porque se mantém numa postura inflexível, considerando seu código de ética como sagrado. Por isso digo que o falso ético mesmo se delata!!! Este tipo de pessoa que prega para todo mundo o que acha certo ou errado pode se colocar em situações embaraçosas, pois a qualquer momento irá cair em contradição porque não conseguirá se mostrar “certinha” o tempo todo. 

A qualquer momento que ela sair daquilo que acha certo e moralmente aceito, será tachada de “Falso Moralista” por não pregar nada daquilo que defende, faz isto apenas para se blindar e prejudicar os demais. São pessoas que já aprontaram coisas horríveis e ainda continuam fazendo e se esquecem que não têm nenhuma moral para falar dos outros.

Antes o moralismo era um ato essencialmente conservador. Agora virou também uma ferramenta de mudança social. Grupos organizados julgam a forma como a sociedade se estruturou e a condenam por ser imperfeita. Desejam que ela se molde a suas necessidades e anseios. Acabamos rodeados de moralistas em nome da mudança e do conservadorismo.

É possível questionar com naturalidade relacionamentos homossexuais ou heterossexuais, discriminar seja lá qual raça for ou difamar posições políticas. Mas, por sermos imperfeitos, seremos sempre falsos moralistas, julgando o mundo como se não fôssemos passíveis de errar e como se não fôssemos nós mesmos responsáveis por sua imperfeição.

A insegurança, seja decorrente da experiência de vida ou da personalidade, orienta-nos de alguma forma a buscar o conforto, que se revela no desejo de que o mundo concorde sempre conosco, seja normatizado de acordo com nossas posições políticas, curve-se aos nossos caprichos.

É uma luta muitas vezes inglória superar o falso moralismo ao qual estamos tão acostumados. Ainda mais com tantas vias de comunicação abertas pela internet, que se tornam válvulas de escape instantâneas. Acabamos por carregar o moralismo conosco, revelando-o nos momentos complicados ou mesmo em meio ao stress a que a vida nos submete. Estou certo de que terei diversas atitudes moralistas ao longo da vida, mas essa é uma ação que tentarei suprimir ativamente à medida que o tempo passar. Não vejo outro caminho.

Às vezes, ouço pessoas dizerem que é preciso acabar com a injustiça, a vaidade, a discriminação, as diferenças, etc. Mas nada disso acaba. Tudo isso faz parte de nós. O que podemos fazer é lidar com nossos defeitos, de alguma forma mantê-los sob controle e diminuir seus impactos negativos.

Há falsos moralistas de ocasião e os profissionais. Quanto aos últimos, não há muito o que fazer. Mas os de ocasião - grupo no qual me incluo - são capazes de rever muitas de suas posições e, talvez, ser menos alarmistas, incisivos e agressivos.

Duvide sempre que alguém lhe disser que o mundo está piorando, que o grupo X é malvado, que os valores sociais são intencionalmente pervertidos, que o "grupo dominante" bolou um plano para seguir dominando. Se você cair nessa, irá se tornar um falso moralista de ocasião e vai passar a julgar eventos sem critério. A sensação de superioridade é tentadora. É fácil se apaixonar por esse sentimento. Mas ele é destrutivo e não cria nada, senão distância, ignorância, histeria e isolamento.

Mantenha sua moral (costumes e cultura) de forma positiva. E, se desejar compartilhá-la, faça-o pela sugestão, pela conversa. Ousando poetizar de uma forma meio piegas, a condenação do outro é um tipo de autocondenação.

2 comentários:

  1. Adailson Alves Boa tarde pessoal, hoje dia 27 de novembro estou vendo o quanto somos valiosos, pois ainda existe pessoas que se preocupa com nossa política local, e também ao mesmo tempo, qdo fala de grupo político, dá entender que deveríamos está mais presente e juntos, isso muito me preocupa mesmo, pq são poucos que pensa no coletivo, o texto reflete as nuances e características que vem sendo praticadas na política ñ só aqui mais em nosso país. Isso é ruim e só que perde é nosso povo. Fico aqui pensando nos acontecimentos durante as últimas semanas, pensando nisso, acho que deveríamos aumentar um pouco o tom pra essa gente que só pensam nos seus próprios interesses, esquecem que o povo foi quem colocaram eles no poder. Essa politicagem ñ reflete nada positivo nem para o grupo A e/V B e muito menos para C, o que percebo que tentam de alguma forma criar uma situação para poderem se salvar e se isentar de SEUS DEVERES E OBRIGAÇÕES, o nosso povo está de saco cheio com tantas mentiras. Precisamos apoiar pessoas que tenham iniciativas feito Pe. Claudenes, pessoa de prestígio que tanto fez em suas pregações pedindo paz, luz e saúde para o povo de Marcelino Vieira, suas expressões ao meu vê reflete hoje uma enorme preocupação no politIca local de MV. Realmente é preocupante tudo isso, uma coisa é certa, o povo precisa entender que ainda exiate alguém que pensa no bem está do próximo, essa luta é de todos, precisamos do apoio de todos, só assim, teremos muito mais força na hora de decisão. Decisão essa, que traga paz, conforto e sabedoria para todos nós com a graça de Deus. Contudo, me sinto melhor, um lutador que luto por dias melhores, devemos combater o bom combate, convoco tanto o dileto Pe. Claudenes como os demais amigos e todos aqueles que lutam pela mesma causa, "desde agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o senhor, justo juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mais também à todos os que amarem a sua vida." Me associo ao amigo, ótimo texto. Salvo melhor juízo.

    Autor: Dr. Adailson Alves - Marcelino Vieira/RN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pela bela compreensão e pelas palavras de apoio. Estamos juntos nesta luta, por dias melhores para nossa Marcelino Vieira. Infelizmente, existe ainda o gueto junto com o prefeito fazendo politicagem e levando o povo para o abismo, para o terrorismo; lamentável, aqui é uma cidade de gente boa, porém, existem demônios e sem dúvida o maligno/ a bruxa está solta. Prefeito deveria ser exemplo, deveria aconselhar os seus assessores a acabar com as perseguições e picuinhas... Mas a cada dia que passa, PANDORA se exibe de forma incontrolável... Deus tenha misericórdia e nos livre do mal. Amém.

      Excluir