. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

ATO DE SOLIDARIEDADE

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Pai tortura filho de 3 anos e coloca pimenta em partes íntimas da criança em Alagoas

Um menino de apenas 3 anos foi salvo por vizinhos, no momento em que era espancado pelo próprio pai e pela madrasta, identificados inicialmente como Luciano Silva, ou “Mungunzá” como é conhecido, e Julia. O casal foi detido por populares, agredido e teve o barraco onde mora destruído, tamanha fúria da vizinhança. O Conselho Tutelar Região II foi acionado pela mãe da criança. Ela reside no Benedito Bentes e tinha autorizado o ex-marido a ficar com a criança por alguns dias.

Em entrevista à TV Pajuçara, a conselheira tutelar da região que atende ao bairro do Vergel do Lago, Valmenia Santos, disse que o conselho tem motivos para acreditar que o casal citado pretendia torturar o menino até a morte. Até uma corda foi encontrada no local. A criança, por sua vez, apresentava vários hematomas pelo corpo, um ferimento grave na cabeça e ainda relatou para os conselheiros que o pai colocou pimenta nas suas partes íntimas. ”Já passamos por muitas situações, mas este caso de tortura me deixou com sede de justiça. Espero que a Polícia faça sua parte e a Justiça tome conta dos dois”, disse Valmenia.

Há também indícios de que o menino já vinha sofrendo maus tratos há algum tempo, devido ao estado dos ferimentos. Ele chegou a reclamar com a mãe sobre apanhar do pai, mas sempre que era questionado, Luciano negava e acusava a criança de estar mentindo.

O menino foi levado pelos conselheiros até o Hospital Geral do Estado (HGE), onde será examinado e submetido à exames e depois segue para o Instituto de Medicina Legal (IML) onde será realizado o exame de corpo de delito.

Os conselheiros pedem que a população denuncie o paradeiro do casal, que conseguiu escapar. Quem tiver informações pode entrar em contato com o Conselho através dos telefones: 98882-8277/3315-5938.

Fonte: Alagoas24horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário