. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

ATO DE SOLIDARIEDADE

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

CAJAZEIRAS PB: Polícia Civil e Científica desvenda crime de Victória e descobre que elemento foi o mesmo que matou Thayza

Psicopata










Um trabalho de investigação feito pelos agentes do GTE de Cajazeiras, bem como o trabalho realizado da Polícia Científica (IPC), culminou com elucidação da morte da Jovem Victória Albuquerque que tinha 17 anos, e que teve sua ossada encontrada na manhã dessa terça-feira no sítio Santo Onofre zona Rural de Cajazeiras.

Segundo o trabalho de investigação bem como da perícia, Victória foi morta por asfixia e golpes de porrete.

No local do crime a Polícia Científica colheu provas, que juntada com depoimentos ajudaram a identificar o principal suspeito de ter praticado o crime.

Na tarde dessa quinta-feira (17) o psicopata José Giunes do Nascimento Diniz de 19 anos, vulgo Galego dos Cocos, morador do sítio Queimadas zona Rural de Cajazeiras, foi ouvido pelo delegado do GTE Miroslav no qual confessou o crime que possivelmente foi cometido no dia 01 de julho.

O acusado contou que matou a adolescente após o uso de drogas no qual teria sentido uma ira por que Victória supostamente teria aprontado contra o mesmo no passado.

José Giunes do Nascimento Diniz de 19 anos, vulgo Galego dos Cocos, foi o mesmo que (matou) a jovem Thayza Criszantina Alves de Lima de 28 anos que teve seu corpo encontrado no dia 18 de julho dentro de um matagal no sítio Capoeiras Sul em Cajazeiras.

O acusado também é suspeito de tentar abusar de uma criança de onze anos, fato ocorrido no (sítio) Queimadas, onde o crime só não foi consumado devido à intervenção de um irmão do acusado.
Giunes também será investigado por outro crime onde é acusado ter abusado de uma jovem é roubado seu celular.

O Psicopata está preso no Presídio Padrão de Cajazeiras onde está à disposição da justiça.

F: Angelo Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário