. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

ATO DE SOLIDARIEDADE

domingo, 20 de agosto de 2017

21 de agosto de 2017: Eclipse Solar promete espetáculo



No dia 21 de agosto de 2017 ocorrerá um eclipse solar que promete ser o eclipse mais registrado de todos os tempos. Isso porque ele poderá ser visto em sua totalidade em uma estreita faixa que passa pelos Estados Unidos. Com isso, a NASA e o próprio governo americano estão promovendo uma série de atividades que envolvem desde as observações públicas até transmissões ao vivo através de sondas estratosféricas.

No Brasil, o eclipse será visível no final da tarde apenas em alguns estados do Norte, Nordeste e Centro Oeste. Nessas condições, é excelente para observação pelo público em geral, pois pode ser observado facilmente com o uso de filtros apropriados de baixo custo.

Devemos entretanto ter uma atenção especial para observar o eclipse. Não devemos olhar diretamente para o Sol e jamais apontar pra ele qualquer instrumento óptico que não seja adaptado para essa finalidade. O motivo é muito simples: Isso pode causar danos irreversíveis à visão. O bom é que se proteger corretamente não é complicado. Em qualquer loja de material de construção, é possível encontrar o “vidro de soldador numero 14”, que é um excelente filtro para os raios ultravioletas que são tão prejudiciais à nossa visão. Esses filtros custam entre R$ 2,00 e R$ 5,00 e com eles podemos observar olhar para o Sol sem problemas. Evitem qualquer tipo de filtro improvisado como o filme de raio-X. Mesmo deixando a visão confortável eles deixam passar os raios ultravioletas que são extremamente nocivos.

Na extratosfera – Já pensou em assistir um eclipse total a partir da estratosfera por uma câmera 360°? Entre as dezenas formas atividades que podem ser realizadas durante um eclipse solar total, um grupo de brasileiros irá realizar uma inédita, que é sua captura em uma altitude maior que a dos aviões comerciais, de forma a possibilitar a filmagem da passagem da sobra lunar sobre a superfície terrestre, além de coletar dados da estratosfera durante a ocorrência do fenômeno, como pressão, temperatura, velocidade dos ventos, entre outros.

O projeto Kuaray pretende preencher essa lacuna. Neste dia 21, pesquisadores da Universidade de Brasília e do Clube de Astronomia de Brasília estarão no Parque Nacional de Yellowstone nos Estados Unidos, realizando o lançamento de um balão estratosférico de coleta de dados com uma câmera especialmente preparada para capturar o fenômeno em um vídeo de 360 graus que poderá ser usado em equipamentos de realidade virtual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário