. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

sexta-feira, 2 de junho de 2017

NATAL RN


Uma investigação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) descobriu que o detento Genilson Freitas Gomes da Silva, que estava preso no Centro de Detenção Provisória da Zona Norte, de Natal, não suicidou-se no dia 18 de março deste ano, mas que foi assassinado por cinco outros detentos que estavam na mesma cela. Os resultados da investigação e o indiciamento dos cinco suspeitos foram divulgados nesta quinta-feira (01).

De acordo com a investigação, Genilson foi transferido da área de triagem para uma cela na manhã do dia 18 de março. Logo após o almoço, ele foi executado por cinco detentos, porque eles descobriram que Genilson tinha afinidades com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital(PCC). Os suspeitos deram uma “gravata” na vítima e depois simularam que ele teria se suicidado. Amarraram cordas em seu pescoço e o dependuraram na cela.

A DHPP indiciou os seguintes presos por homicídio qualificado: Arthur Patrick dos Santos Dionísio,24 anos; Italo Santiago das Neves, 24 anos; Lindenilson da Silva, conhecido como “Gigante”, 35 anos; Willians Carlos Souza de Oliveira, conhecido como “Lobo”, 26 anos e Nicolas Ferreira de Araújo Torres, 22 anos. A Divisão Especializada já representou à Justiça pela decretação da prisão preventiva dos cinco indiciados.

Informações: Gustavo Mariano/Degepol/RN