. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

sábado, 2 de janeiro de 2016

ESTIAGEM PROLONGADA ESTÁ SECANDO O AÇUDE DO JUNCO - MARCELINO VIEIRA/RN





O baixo volume de armazenamento do açude Junco, Marcelino Vieira, preocupa a cada dia os moradores; configurando a situação mais crítica desde a sua construção.
Neste mês de janeiro, a cidade vai ficar mais movimentada com o jegue folia, onde milhares de pessoas virão de diversos estados do Brasil; o que acontece é que o consumo vai aumentar, quem garante que teremos água suficiente para tanta gente? A agua já não tem mais cor, cheiro e muito menos qualidade; nas torneiras, nos deparamos com uma agua cor de lama e o pior com um mau cheiro.
Mesmo com um racionamento planejado pela CAERN, ainda é muito difícil viver com uma agua suja; podemos até imaginar, pior é quem já não tem mais nem água em seus reservatórios. A população sente na pele.
Nos deparamos com muitos carros circulando na cidade; e qual é a única solução? É tirar um pouco de dinheiro de sua aposentaria, bolsa família, para comprar alguns baldes de água. A rotina é o carro passar em sua rua e anunciar: “Olhe a água...”; e assim, senhoras e senhores abrem suas portas e já se apresentam com o seus baldes.  
O que vem nos chamando mais atenção nesses últimos meses em Marcelino Vieira é que carros de passeios passaram a comprar digamos, uma carrocinha, um bombeador, para vender água; deixaram seus serviços específicos, e assim se configuraram ao dia a dia dos vieirenses.
Só Deus pode mudar essa realidade, situação. A Fé é o elemento mais forte e eloquente do povo da cidade; no rosto das pessoas, vislumbra o sofrimento, o cansaço, a tristeza em ver o açude secando, mas existe no fundo, a esperança de um BOM INVERNO, de ver o açude cheio para mudar a rotina do povo da pacata e antiga VITÓRIA.
É com esse sentimento de angústia e desespero que o povo clama cantando...

“Ó Antônio escutai benigno/ nossas preces ardentes de amor/ Dai-nos fé, dai-nos paz e coragem/ nesta vida de luta e de dor.
Salva, salva teus filhos de Europa/ tua pátria querida e gentil/e do trono que tens lá no céu/ um olhar sobre o nosso Brasil.
_____________________
Por Redação

______________________
Por Redação