. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

MDS investe mais de R$ 143 milhões para construção de cisternas no Semiárido Meta é implementar mais de 25 mil tecnologias de acesso à água em 56 municípios dos estados da Bahia e Minas Gerais

Brasília, 5 – O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) assinou dois novos convênios e ampliou metas com três consórcios para a construção de tecnologias de acesso à água em 56 municípios dos estados da Bahia e Minas Gerais.
Serão investidos mais de R$ 143 milhões com o objetivo de garantir o acesso à água para o consumo das famílias, para a produção de alimentos e nas escolas rurais do Semiárido. A meta é construir 16.781 cisternas de placas de 16 mil litros, 8.086 tecnologias para a produção de alimentos e 810 cisternas escolares.
“Queremos garantir água, por no mínimo oito meses, para as famílias do Semiárido que sofrem com a seca”, destaca a diretora do Departamento de Fomento à Produção e à Estruturação Familiar do MDS, Francisca Rocicleide Ferreira da Silva. “O programa Cisternas garante melhores condições a essas populações que podem ter água potável por quase o ano inteiro.”
As cisternas são soluções simples para captar e armazenar água da chuva, tanto para consumo humano, amenizando os efeitos da seca prolongada. Com a tecnologia é possível que uma família de cinco pessoas possa conviver com a estiagem por até oito meses. Já a cisterna escolar é construída com placas de cimento e tem capacidade para armazenar 52 mil litros.
Além das cisternas, também está prevista a construção de barreiros trincheiras e barragens subterrâneas, tecnologias utilizadas para a captação e armazenamento de água para a produção de alimentos e a criação animal.

Ascom/MDS