. populares img:hover{ -ms-transform: rotate(-10deg); -webkit-transform: rotate(-10deg); -moz-transform: rotate(-10deg); -o-transform: rotate(-10deg); transform: rotate(-10deg);}
Ultimas

O PASSADO PELO PRESENTE

PROVEDOR DE INTERNET

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

RN e outros cinco estados do Ne não tem nenhum preso por corrupção

Apenas 0,1% dos presos do Brasil estão detidos por corrupção. Seis estados, todos nordestinos, não possuem sequer um preso por este crime, entre eles, o rio grande do norte!
Os números foram produzidos a partir de relatórios do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), do Ministério da Justiça, divulgados em dezembro de 2012. De uma população carcerária de 548 mil detentos, somente 722 estavam detidos por corrupção.
Os números ajudam a entender um pouco porque a corrupção no Brasil é tão alarmante e ocorre diariamente em todas as esferas de Governo (União, Estados e Municípios) em seus mais diversos órgãos. A certeza (ou quase) da impunidade é uma importante mola propulsora de tanta corrupção.
Seja na compra da merenda escolar ao medicamento para tratamento do câncer, seja no calçamento de uma rua à construção de um Estádio para copa do mundo ou um Hospital, seja no pagamento de propina para se livrar de uma simples multa de trânsito ou na “compra” de apoio parlamentar, a corrupção é uma constante.
Mas apesar do número reduzido de detentos por corrupção no Brasil, ainda há aqueles juristas que dizem: “prisão não resolve nada”. Enquanto isso os corruptos vão resolvendo do jeito deles desviar nosso dinheiro. Talvez só a prisão não resolva tudo mesmo, mas se número pífio de 0,1% de detentos presos por corrupção chegasse pelo menos a 1% muitos corruptos pensariam bem mais antes de “meter a mão” no nosso dinheiro. Além da prisão, trazer de volta (e de forma rápida) o que foi indevidamente tomado ajudaria muito também a reduzir a prática da corrupção.
Destaque-se que nos dados revelados no relatório do DEPEN relativo a dezembro de 2012, havia seis Estados sem qualquer preso por corrupção, são eles: Acre, Alagoas, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Se 0,1% de presos por corrupção no sistema penitenciário nacional já se mostra negativamente estarrecedor, considerando a evidente desproporção entre o número de corruptos e o número de detidos, o que dizer do 0,0% nestes Estados???
Ítalo Moreira, promotor de Justiça em Mossoró

Nenhum comentário:

Postar um comentário